ear-12

SONHO, OBJETIVO E METAS – UM COMPROMISSO COM O SUCESSO.

Tudo se inicia por um sonho.

Sonho é qualquer coisa que se almeja e queira muito alcançar.

Sonho é o combustível da vida, desta forma, deve ser amplo e provocar o movimento para a criação, a automotivação e a motivação.

A partir do momento que se tem um sonho verdadeiro e único é preciso fazer o planejamento estratégico para atingi-lo. O que envolve uma jornada entre o conhecimento do estado presente, da ideologia central , das crenças, que motivam ou limitam, análise do ambiente interno e externo, encontrar os os fatores de sucesso, definir o objetivo e traçar as estratégias para atingí-lo, através de um plano de ação, com metas, submetas e indicadores de desempenho, que permitam dar o feedback ágil e comemorar os pequenos sucessos.

Existe uma certa confusão entre objetivo, a meta e a submeta, então vamos compreendê-los melhor.

Objetivo é tudo aquilo que se pretende atingir, alcançar, chegar, é o alvo final, é uma declaração que deve inspirar você e as pessoas que farão parte da sua construção; já a meta é cada degrau para se conquistar este objetivo e a submeta são os pequenas metas, que nos ajudam a conquistar os resultados com maior efetividade.

Uma vez que entendemos o que é objetivo, o que é meta e o que são as pequenas metas, que tal fazermos um exercício para sentirmos o nosso sonho.

FERRAMENTA – SENSIBILIZANDO O SEU SONHO

” Se um homem não sabe a que porto se dirige, nenhum vento lhe será favorável.” Sêneca

Então é importante ter um Sonho e ter Objetivos e Metas para conquistá-lo. Na área Organizacional, desde a década de 20, há uma preocupação com os objetivos, nesta época, surgiu a Administração Por Objetivos, tendo como principal nome, o executivo norte-americano, Alfred Sloan, cujo o enfoque eram as práticas que enfatizavam o Planejamento, o Controle e os Objetivos. Na década de 50, o “Pai da Administração”, Peter Drucker desenvolveu o método SMART ( metas inteligentes) e o aplicou na GE – General Eletric. O livro “The Practice of Management” publicado em 1954, traz o Método Smart na prática. Já, no ínicio da décade 80, Gary P. Latham e Edwin Locke trouxeram o método SMARTER ( metas espertas) e introduziram E – metas ecológicas e R – metas recompensadoras, agregando, o fator valores e motivação.

Vamos aqui entender as 7 etapas do Método SMARTER :

ESPECÍFICO.

MENSURÁVEL

ALCANÇAVEL

REALÍSTICO

TEMPORAL

ECOLÓGICO

RECOMPENSADOR

S= Specific – Específica –  Uma meta precisa ser específica, clara, compreensível, dar foco, valores. Exemplos: “Dobrar o faturamento em 2020”; “Treinar 100% dos Líderes em Gestão Comportamental em 2020.”

 M=Measurable – Mensurável – Como vai medir o resultado, como vai medir a evolução da meta, qual é o indicador que informará que a meta está sendo realizada.  Uma vez que podemos medir a meta, podemos ver a evolução, a produtividade, bem como, nos permite uma análise para constatar o que está seguindo conforme o planejado e o que não está sendo realizado e neste processo de aprender a aprender, poderão ser feitas as correções necessárias para alcançar o resultado proposto.

A=Attainabe – Atingível – Assim como é importante medir a meta, é necessário pensar se a meta estabelecida é atingível. Suponhamos, que todos os indicadores apontem que em 2020  é  factível, com muito trabalho, aumentar a avaliação de desempenho na competência Liderança e Gestão 5%, devido a todas as condições internas e externas e a meta estabelecida  é de 10% pode ser frustrante e desmotivador não alcançá-la.  Em casos assim, vale repensar a meta para algo que possa ser conquistado e que dê motivação para escalar metas maiores.

R=Relevant – Relevante – A meta é relevante para atingir seu objetivo final, a meta tem propósito, tem significado, “aumentar 10% da avaliação de desempenho na competência Liderança e Gestão ”, está conectado com os objetivos estratégicos, vai fazer a diferença para o negócio pessoal, profissional e Organizacional?

T = Timely – Temporizada – “Aumentar o faturamento da empresa em 10% em 2017”, se a meta não tem prazo, corre o risco de não acontecer, ser protelada e isto poderá afetar o objetivo final. A data propõe um compromisso e direção ao futuro almejado.

E = Ecologic – Ecológica – As metas são éticas, ou seja, ao realizá-las, qual o impacto que as mudanças na sua vida, na sua profissão, na sua Organização e nas pessoas à sua volta. É o exercício da responsabilidade por suas atitudes e ter clareza como afetarão a vida dos outros. Exemplo – vender o negócio trará muito dinheiro, mas, o novo dono irá demitir muitos dos que me ajudarão a construir o negócio ou aceitar a promoção me deixará um ano longe da minha família ou o projeto é fantástico e consegui a  ajuda dos meus parceiros, mas, só vou oferecer o menor retorno possível pelo esforços deles.

R – Reward – Recompensadoras – Qual o retorno, a recompensa que será conseguido ao chegar ao resultado do seu esforço e dedicação? As recompensas do esforço precisam estar definidas para motivar o alcance.  Existem recompensas tangíveis e intangíveis, ou seja, materiais, ganhos financeiros e emoções positivas. Exemplos disso são:  promoção. incremento de X% no faturamento; viagem para a Lua; melhoria de uma dor emocional ou encaixe social mais robusto.

Quanto mais um homem se aproxima das suas metas, tanto mais crescem as dificuldades.” J.Goethe

Porém, o nosso mundo está mudando rapidamente e novas teorias, aprendizagens, modelos e ferramentas chegam para nós rapidamente e assim foi com a criação das METAS FAST, que procuram promover o alinhamento das metas com as ações. Vamos entender o acrônimo FAST:

F – Frequently discussed – frequentemente discutidas ou seja as metas devem ser constantemente revisadas e discutidas para que os recursos possam ser alocados e otimizados, as iniciativas prioritárias sejam realizadas e haja o processo de feedback instantâneo.

A – Ambitious – ambiciosas – metas devem incentivar ir além, usar o potencial, a competência, porém, atingível.

S – Specific – específicas – metas devem estar alinhadas aos objetivos estratégicos e desdobradas em iniciativas e métricas que possam ser visualizadas por todos.

T – Transparent – transparentes – metas devem ser públicas para estimular o engajamento, a colaboração e a competição sadia.

Um mundo cada vez mais V. I.C. A. , Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo pede algo novo e sabemos que os Objetivos direcionam as nossas vidas e a vida Organizacional também e entre o SMART e o FAST há uma evolução e uma ampliação de foco e o relevante aqui é conhecer as ferramentas e saber usá-las para a construção dos Objetivos e das Metas de modo apropriado.

O nosso foco neste artigo foi ressaltar que os sonhos impulsionam a nossa vida pessoal, profissional e Organizacional e que para se tornarem tangíveis é muito importante construir com embasamento e técnica: os Objetivos, as Metas, as Submetas e os Indicadores, que vinculados a uma estratégia e a um plano de execução memorável possam trazer a realização e alimentar o propósito que os criou.

Erika A. Rossi

Graduada em Administração de Empresas, especialista em Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, possui também formações e treinamentos em Gestão Planejamento Estratégico, Subsistemas de Recursos Humanos, Master Business Executive Coach, Practitioner em PNL, Gestão Comportamental. Erika  atuou na liderança de projetos e pessoas em expressivas organizações nacionais e multinacionais, num trabalho de mais de  duas décadas, conectando Planejamento Estratégico Organizacional, Recursos Humanos e Gestão de Pessoas. Diretora do Nicho de Coaching Corporativo e Expansão & Regionais da ABRAP Coaching – Associação Brasileira dos Profissionais de Coaching. Hoje, atua diretora da EAR Consultoria de Desenvolvimento Organizacional e Humano especializada em desenvolvimento de projetos, treinamentos, workshops e  palestras na área de Gestão de Recursos  Humanos,  Gestão de Negócios, Planejamento Estratégico, Liderança, Gestão Comportamental, Educação Corporativa, Mentoria de Carreira e de Recursos Humanos e Business Executive Coaching. Também é coautora do livro “Coaching Empresarial” da Editora Leader e atua como criadora e/ou assessora de projetos e eventos para a transformação comportamental de Organizações e Pessoas, entre eles Startup Coaching, 1º. Congresso de RH do Sul e Sudeste do Pará.

 Coautora da metodologia Sensibilização Organizacional, onde o nosso trabalho é realizado para facilitar a transformação comportamental das pessoas. Quanto mais pessoas tiverem a capacidade de vivenciar o autoconhecimento, o autodesenvolvimento, a autoestima e a autoliderança, maior é a oportunidade de termos uma humanidade onde a sabedoria humana é o projeto de sucesso, impactando a transformação que queremos no Mundo.

Tags: No tags
0

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *