Autoconhecimento e Transformação Comportamental – O poder para viver e vencer no Século XXI.

Nos nossos dias, o Autoconhecimento, que podemos identificar, como o conhecimento de si mesmo é imprescindível para uma jornada de desenvolvimento pessoal e profissional de sucesso.

Nas Organizações, o conhecimento dos comportamentos e das emoções observáveis do capital humano traz uma contribuição ímpar para o engajamento, a colaboração, a motivação, a criação de equipes de alta performance, a produtividade e resultados, bem como, é um orientador robusto para os líderes fazerem a Gestão de Pessoas e alcançarem os objetivos vinculados ao propósito e para a área de RH alimentar os subsistemas de Atração, Desenvolvimento, Retenção de Pessoas e as ações estratégicas demandadas pelos subsistemas de RH focados na estratégia organizacional.

Tem uma frase do empresário Abílio Diniz que retrata claramente esta importância e impacto para o sucesso: “Não ter um conhecimento profundo de si mesmo é como construir um prédio sem cuidar bem dos alicerces.”

MAS, O QUE É ANÁLISE COMPORTAMENTAL E POR QUE É IMPORTANTE?

A Análise Comportamental é o levantamento dos comportamentos e emoções observáveis e predominantes de uma pessoa, que pode englobar além do motivador do perfil, os motivadores, profissionais e pessoais.

É o estudo das características comportamentais presentes em cada pessoa, ou seja, a forma como esta pessoa age e reage frente aos estímulos do ambiente, em momentos e em situações diferenciadas da vida pessoal e profissional.

Possibilita acelerar,  o Autoconhecimento, afinal, quanto mais uma pessoa se conhece e como ela é e como  ela funciona em relação a si mesma, aos outros e ao meio, terá muito mais assertividade nas mudanças transformacionais que são necessárias para o seu sucesso para uma vida produtiva, plena e com significado em um mundo que se reconfigura a cada instante.

 A ORIGEM DA METODOLOGIA D.I.S.C & FERRAMENTA DE ASSESSMENT COMPORTAMENTAL

O comportamento sempre foi uma preocupação da humanidade, mas foi em 1928 que, William M. Marston criou a metodologia D.I.S.C., que retrata a maneira de agir e interagir de uma pessoa com ela mesma e com o meio. A metodologia DISC foi descrita no seu livro “As Emoções das Pessoas Normais”, após um forte trabalho de pesquisas e estudos e classifica as pessoas em quatro perfis:

  • Dominance (Dominantes, Executores)
  • Influence (Influentes, Comunicadores)
  • Steadiness (Estáveis)
  • Conscientious (Analíticos, Conformes)

Precisamos entender que não há perfil melhor ou pior, há perfis que são mais adequadas as atividades realizadas por uma pessoa.  Com a aplicação desta metodologia através de ferramentas de Assessment é possível detectar o comportamento e as emoções observáveis de uma pessoa, como ela se percebe, como ela age e interage com o meio em situações diferentes.

Porém foi em 1948 que Walter V. Clarke, psicólogo organizacional transformou o método de Marston, em ferramenta de pesquisa comportamental, que ajuda Organizações e Pessoas a terem resultados diferenciados.  Os Assessments baseados na Metodologia D.I.S.C estão no mercado há muitos anos, com alto grau de confiabilidade, ajudando na avaliação comportamental das pessoas, bem como, apoiando os processos de transformação comportamental.

Os quatro perfis comportamentais  trazem os traços diferentes entre si e todas as pessoas apresentam os  traços de todos perfis, porém,  a ênfase de um perfil ou outro e   para um ambiente corporativo  deve ser  levada em conta o contexto, pois, a Organização precisa de todos os perfis comportamentais de acordo  com as necessidades dos cargos, papéis, responsabilidades e resultados.

PERFIL COMPORTAMENTAL

É a ferramenta baseada na metodologia DISC, representada por um gráfico, que ajuda a identificar e mapear o perfil comportamental de uma pessoa e como este perfil se coloca em relação aos seus relacionamentos.

O Perfil Comportamental avalia os comportamentos e as emoções observáveis, não avalia a personalidade e, portanto, é uma ferramenta que ajuda o processo de autoconhecimento e é uma forma de alavancar a percepção, de desenvolver aspectos pessoais e profissionais, porém, não é uma ferramenta isolada, precisa ser  combinada com outros processos e ferramentas para obtenção de um resultado diferenciado.

A grande magia desta ferramenta é saber aplicá-la com eficiência e eficácia e combiná-la com ferramentas e áreas do desenvolvimento humano para ter a efetividade nos processos de aperfeiçoamento pessoal e profissional.

Entender com clareza o que ela alcança e o que ela não alcança, em primeiro lugar e fazer a conexão com a demanda e a necessidade em processos individuais e com  os subsistemas de Recursos Humanos para apoiar na realização de processos com resultados positivos e com conexão a demanda estratégica de Capital Humano & Talentos.

Os perfis comportamentais, de maneira geral, quando identificados são capazes de descrever:

  •  expansão ágil do processo de Autoconhecimento;
  • os traços comportamentais predominantes;
  • os pontos positivos e os pontos limitantes;
  • o estilo de liderança;
  • o ambiente favorável para trabalhar;
  • o tipo de comunicação e feedback requerido;
  •  identificar o processo de como solicitar atividades para cada perfil;
  • identificar como o perfil executa as atividades;
  • identificar como age e como reage sob pressão e como toma decisões;
  • quais são os fatores de motivação pessoal, comportamental e profissional;
  • quais são as necessidades e medos;
  • qual o nível da autoestima e positividade;
  • qual o nível de autoconhecimento;
  • pontos de competências do perfil;
  • ajudar no alinhamento pessoal e profissional, através do conhecimento dos traços comportamentais, por meio de um dado, informações, gráficos, que permitam a expansão do conhecimento e o desenvolvimento de processos de melhorias e alavancagens.
  • permite conhecer como funciona, como se comunica e como se motiva, um conhecimento robusto de si mesmo.

Com todos estes dados é possível acelerar o processo de Autoconhecimento, através da autopercepção e também da percepção do meio (feedback) e  apoiar o processo de desenvolvimento individual ágil e que traga  um valor extraordinário para uma pessoa, bem como,  para as Organizações atuarem no desenvolvimento do Capital Humano para estarem fortalecidas no presente e preparadas para a construção da jornada de futuro.

O que o Perfil Comportamental pode alavancar neste instigante Século XXI

  • Carreira – mudanças, estagnação, promoção, transição, recolocação, aposentadoria, enfim, em todos os períodos de transformação da vida profissional.
  • Vocacional – ajudar nas escolhas profissionais de modo mais assertivo e como uma experiência positiva.
  • Organizações:  processos de atrair, treinar, desenvolver, motivar, engajar, reter, maximizar o capital humano.
  • Mapeamento do perfil comportamental organizacional.
  • Cultura Organizacional.
  • Relacionamento Interpessoal.
  • Criação de equipes de alta performance.
  • Desenvolvimento da Liderança.
  • Empreendedorismo
  • Relacionamentos.
  • E muito mais.

Vantagens do uso do Mapeamento Comportamental para as Organizações:

Quando uma Organização passa a usar o mapeamento comportamental nos seus processos de Atração, Desenvolvimento e Retenção do Capital Humano ela  passa a ter um diagnóstico comportamental completo da sua população e  trabalhar com relatórios contendo informações poderosas para  ajudar na melhor forma de fazer a gestão de pessoas, levando em conta a compatibilidade com a melhor área de trabalho,  como  as pessoas atuam com fluidez em termos de motivadores pessoais, de carreira e de perfil, como tomam decisão, como lideram, como agem e reagem aos ambientes, como executam as tarefas e como absorvem feedbacks,  como  formar equipes que se conectam, se completam e obtém resultados,  como harmonizar e ter a ressonância no todo Organizacional,  tendo uma melhor produtividade, engajamento, motivação e  conexão de propósito entre a Organização e o Capital Humano,  o que é fundamental num mundo em mudanças.

Os processos de Assessment avaliam, através de relatórios e gráficos, os aspectos comportamentais, competências comportamentais das pessoas. Utilizamos Assessment também para avaliar os motivadores de Carreira e os Pessoais. Formando um trio altamente poderoso para os processos de Assessment do Capital Humano.

Para que serve fazer um processo de Assessment na Organização?

Primeiro, vamos entender, o significado de Assessment, é um termo de origem inglesa que significa avaliação e que, no mundo Organizacional, se refere a um conjunto de avaliações, que pode abrigar, entrevistas comportamentais, avaliação de desempenho e de potencial.

O Assessment é utilizado quando a Organização precisa identificar a compatibilidade e a melhor aplicação do capital humano para preencher posições, formar pessoas  e equipes engajadas à cultura,  desenvolver e valorizar as pessoas,  aprimorar os itens de retenção e ajudar os líderes a inspirar e movimentar as suas equipes para  a execução das metas e dos objetivos organizacionais.

Primeiro é importante entender que o processo de Assessment envolve a percepção, a avaliação e o plano de desenvolvimento.  E que é essencial ter uma estratégia para usá-lo e obter os resultados de atração, desenvolvimento e retenção esperados que falem de fato com o Planejamento Estratégico de Capital Humano.

Para um processo de sucesso é preciso saber conduzir um processo de devolutiva e facilitação do autoconhecimento e ter clareza nas expectativas da Organização e dos profissionais.

 Também o uso ético da ferramenta e para isto é preciso ter uma visão sistêmica do propósito que é mapear e identificar os comportamentos e emoções observáveis do capital humano para promover o autoconhecimento e ter um direcionamento das políticas de desenvolvimento humano, através de dados e as informações que ajudem, as áreas de Gestão de RH e Gestão de Pessoas não só melhorarem seus resultados com  a gestão das pessoas, mas, promover soluções e aumentar a  felicidade interna e atendimento do propósito Organizacional  (  Estrutura, Mente e Coração ou  Tangíveis, Intangíveis e Comportamentos e Emoções = Resultados)

O Assessment Comportamental é um dos itens de avaliação de um profissional, porém temos as competências técnicas, comportamentais, as responsabilidades, as entregas e a performance alcançada. O ser humano é bem mais amplo que o perfil comportamental.

Personalidade, Atitude e Comportamento?

Personalidade

É o padrão ímpar de um ser humano de pensamentos, sentimentos e valores que serão perenes ao longo da vida. É o que diferencia as pessoas, englobando suas características cognitivas, afetivas, resultantes da interação com o meio, herdadas, vivenciadas. A personalidade é propulsora dos comportamentos.

Comportamento

É a ação do ser humano, como ele se relaciona com o mundo, ou seja, a forma como ele age e como ele reage em contato com o meio. Aquilo que é percebido e visto pelo outro.

É o conjunto das atitudes ações e reações de uma pessoa, que passa a ser influenciada e influenciar o ambiente.

É o resultado da interação da personalidade de uma pessoa, da cultura, das expectativas, dos papéis e das vivências diárias.

Atitude

É aquilo que uma pessoa pensa, sente e impulsiona a ação, a inclinação de fazer ou não fazer algo, portanto, é a intenção que coloca em ação ou não o comportamento, que tem como base a personalidade e as informações.

É uma maneira congruente de pensar, sentir e reagir em relação aos outros e ao meio.

O outro não visualiza a atitude, não sabe a inclinação de agir e reagir , o que o outro identifica, são os comportamentos e as emoções que permitimos observar. A atitude tem 3 fatores

  • Cognitivo – Pensamentos e Crenças – como pensamos e acreditamos
  • Sentimentos e Emoções – como sentimos e controlamos as emoções
  • Comportamentais- como agimos e reagimos.

Onde o Assessment pode ser aplicado e atuar como facilitador dos processos de desenvolvimento Organizacional e Humano:

  • Aquisição de talentos, ter o profissional certo para o lugar certo com maior assertividade ou pessoas mais adequadas a Cultura Organizacional.
  • Diagnóstico interno do capital humano, identificar, mapear e entender as necessidades do capital humano, auxilia na trilha de desenvolvimento individual, das equipes e da liderança e ajuda a ter maior ressonância interna. Em épocas de grandes mudanças é uma ferramenta fundamental.
  • Treinamento e desenvolvimento: o autoconhecimento facilita uma entrega mais efetiva que atenda aos anseios Organizacionais e Pessoais, bem como, os programas de desenvolvimento passam a se posicionar no nível de necessidade real da Organização.
  • Planejamento e desenvolvimento de carreira, o autoconhecimento permite ao profissional acompanhar e se aliançar com o seu plano de desenvolvimento.
  • Planejamento de Sucessão: O Assessment ajuda no processo de tomada de decisão da sucessão, identificando os aspectos comportamentais, potencial, liderança e encaixe harmonizado para os papéis e responsabilidades etc.
  • Retenção de Talentos: líderes que conhecem as suas equipes, pessoas que se conhecem e conhecem os membros da sua equipe estão, empenhadas e projetadas para um processo de entrega, em ambiente colaborativo, engajado, ressonante e mais feliz, voltado ao propósito e aos objetivos.
  • Desenvolvimento da Liderança congruente com os desafios organizacionais.
  • Engenharia de Cargos.
  • Alinhamento das equipes de vendas.
  • Motivação, engajamento e colaboração.
  • Comunicação.
  • Formação de equipes de alta performance.
  • Gestão do Tempo.
  • Desenvolvimento da Liderança.
  • Coaching.
  • Mentoria.
  • Relacionamentos.
  • Carreira.
  • Vocacional.
  • Autoconhecimento.
  • E todas as áreas que trabalham com desenvolvimento humano.

Como usar o Assessment Comportamental na Organização e no atendimento individual?

Para fazemos a coleta de informações para os relatórios de Assessment Comportamental, utilizamos o envio de questionários online, através de uma plataforma amigável, que permite ao usuário responder de forma ágil e prazerosa, gerando um robusto relatório com muitas informações de impacto e gráficos que permitem ver os resultados de forma intuitiva.

Os Assessments envolvidos neste processo trabalham:  o perfil comportamental, motivadores de carreira, motivadores pessoais, modelos de linguagens preferenciais, positividade, bem-estar e gestão do tempo.

Com este impactante conjunto de assessments há um diagnóstico completo, podemos dizer que há uma ressonância de tudo que envolve comportamentos e emoções observáveis e assim pode se obter a clareza do que está indo bem e do que precisa alavancar para ficar melhor.

 A oportunidade não é apenas identificar e mapear a nós mesmos. A oportunidade é a partir deste conhecimento construir uma jornada poderosa para o desenvolvimento humano.

A falta de conhecimento sobre nós mesmos, nos priva de sonhar, planejar e realizar e encontrar o caminho que precisamos para o sucesso.

Por outro lado, quando falamos em Organizações e áreas de Capital Humano a necessidade dos nossos dias é mudanças, transformações, estando aptos a fazer ações para entregar valor para o cliente interno e externo. E as ações ocorrem por meio de pessoas, o capital humano, que precisa ser atraído, desenvolvido, retido e se sentir acolhido e valorizado para que seja a força competitiva e impulsionadora deste movimento de impacto em todo cenário que o mundo corporativo tocar. Por isto, conhecer o capital humano é uma forma de estar presente e continuar a jornada no Século XXI.

Nosso propósito é ajudar a transformação comportamental e alavancando a sabedoria humana para que resultados exponenciais aconteçam

“Como fazer as pessoas mudarem?

Não é por meio de estratégia, estrutura, cultura ou sistema. Tudo isso é importante. Mas o núcleo da questão envolve uma mudança de comportamento, e ela só  ocorre quando se fala ao coração das pessoas.” John Kotter

Do que vale ter pessoas, com sabedoria interior, talentos, competências, motivações e experiências diferenciadas se elas não são desenvolvidas plenamente para uma vida pessoal e profissional com propósito e entregar resultado para o mundo?

Nossa consultoria foi criada para ajudar na transformação comportamental e entrega de resultados diferenciados, levando as Organizações e as Pessoas para onde querem e precisam ir, neste instigante, desafiante e ágil Século XXI.

Acreditamos, que quanto mais as pessoas tiverem a oportunidade de desenvolver o seu Autoconhecimento, Autodesenvolvimento, Autoestima e Autoliderança e quanto mais as Organizações tiverem a  oportunidade de serem adaptáveis e flexíveis para as mudanças, estando sensibilizadas e ressonantes para entregar valor para todas as pessoas e as áreas de Capital Humano estiverem  sendo estratégicas, de fato, sendo a ponte entre as Organizações e as Pessoas, atuando de forma ágil e com valor para atrair, desenvolver, reconhecer, retribuir e reter pessoas, bem como, liderando os processos de transformação, mudanças e expansão da sabedoria humana, maior a probabilidade de criar a transformação que queremos para o Mundo.

A Metodologia DISC e os Assessments Comportamentais são utilizados por muitas empresas, consultorias, institutos de Coaching. É neste cenário que entramos, tanto no atendimento Corporativo como no Individual. Há muitas formas de assessoramos as Organizações e as pessoas, consultorias, mentorias, coaching, palestras, treinamentos e programas de desenvolvimento, criação de projetos e eventos.  Uma delas é o Assessment D.I.S.C. combinado com o Plano de Desenvolvimento Individual Estratégico e Exponencial e com os processos de Atração, Desenvolvimento e Retenção do Capital Humano para as Organizações. Fazemos as pessoas desenvolverem o seu Autoconhecimento e através dele o seu plano estratégico de pessoal e profissional para estarem conectadas com as demandas do Século XXI. Ajudamos as áreas de Capital Humano a mapear a sua população e a desenvolverem os processos para a transformação comportamental, ajudando o abastecimento dos seus subsistemas de Capital Humano com dados, informações, relatórios que possam alimentar o processo de desenvolvimento de pessoas para a maior competitividade e melhores resultados e apoiar as lideranças para um processo de Gestão de Pessoas 4.0. Fazemos a transformação comportamental necessária para sonhar, planejar e realizar no Século XXI. Quer saber fazer parte deste movimento?

Erika Rossi

Graduada em Administração de Empresas, especialista em Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, possui também formações em Gestão Planejamento Estratégico, Subsistemas de Recursos Humanos, Master Business Executive Coach, Practitioner em PNL, Gestão Comportamental. Erika  atua na liderança de projetos e pessoas em expressivas organizações nacionais e multinacionais, num trabalho de mais de  duas décadas, conectando Planejamento Estratégico Organizacional, Recursos Humanos e Gestão de Pessoas. D

Hoje, atua como diretora da EAR Consultoria de Desenvolvimento Organizacional e Humano especializada em desenvolvimento de projetos treinamentos, workshops e  palestras na área de Gestão de Recursos  Humanos,  Gestão de Negócios, Planejamento Estratégico, Liderança, Gestão Comportamental, Educação Corporativa, Mentoria de Negócios, Carreira e de Recursos Humanos e Business Executive Coaching. Diretora do Nicho de Coaching Corporativo da ABRAP Coaching – Associação Brasileira dos Profissionais de Coaching. Também é coautora do livro “Coaching Empresarial” da Editora Leader e atua como criadora e/ou assessora de projetos e eventos para a transformação comportamental de Organizações e Pessoas, entre eles Startup Coaching, 1º. Congresso de RH do Sul e Sudeste do Pará, Reload – Reestuturando Negócios e Pessoas.

 Coautora da metodologia Sensibilização Organizacional e criadora da Ressonância Organizacional – Sabedoria Humana & Talentos, onde o nosso trabalho é realizado para facilitar a transformação comportamental das pessoas. Quanto mais pessoas tiverem a capacidade de vivenciar o autoconhecimento, o autodesenvolvimento, a autoestima e a autoliderança, maior é a oportunidade de termos uma humanidade onde a sabedoria humana é o projeto de sucesso, impactando a transformação que queremos no Mundo.

0