blog-01

Humanos e Robôs – RH Estratégico e Exponencial

Muito se tem falado sobre o papel estratégico de Recursos Humanos para que a Organização, se faça forte no presente, visando estar presente no futuro.

Para isto um Diagnóstico Organizacional que venha encontrar a ressonância entre a Estrutura, os Processos e as Pessoas (Corpo, Mente e Alma) e das pessoas com elas mesmas, se faz necessário.

Por quê?

Porque algumas perguntas instigantes precisam ser respondidas, analisadas e ter o seu plano de ação elaborado para fazer a ponte para o futuro.

Quem precisamos atrair, desenvolver e engajar, para dar sustentabilidade ao Planejamento Estratégico da Organização?

Sabemos onde estão os hiatos Organizacionais na Estrutura, nos Processos e nas Pessoas?

Como as pessoas estão engajadas com o Propósito, a Missão, os Valores e a Visão Organizacional?

Como são os líderes:  inspiram e dão a visão e fazem a visão acontecer?

Como estamos cuidando do desenvolvimento dos nossos líderes, o quanto é investido em Autoconhecimento, Autoliderança e ambiente de aprendizagem constante?

Como os nossos líderes estão investindo o seu tempo para desenvolver suas equipes?  Nós damos os treinamentos e as ferramentas certas, para que possam exercer uma liderança positiva, que resulte em engajamento e equipes de alta performance?

Qual o trabalho que está sendo feito para envolver os colaboradores, num Mundo em Reconfiguração? O trabalho que estamos fazendo é congruente, com o mundo interno e externo da Organização?

Como as lideranças estão informando o plano de voo?

Sabemos quem está dentro ou fora do voo? Quais as oportunidades e as ameaças? Como podemos reverter os desafios em oportunidades para a evolução Organizacional?

Qual é o conhecimento, as habilidades, as atitudes, os valores e o ambiente disponível para uma jornada de sucesso?

Quais são as competências do Século XXI e Exponenciais que fazem a diferença e precisam estar na Organização?

Estas são algumas das perguntas que precisam ser respondidas, avaliadas para estabelecer um plano de ação ágil, com dados para prever, imaginar e criar o caminho, mesmo num cenário que muda com rapidez.

Quando falamos do RH Estratégico temos de pensar: Conhecemos a nossa Organização e sabemos do que precisamos executar para que o presente, seja uma ponte para o futuro? Estamos olhando com lentes de aumento, o mundo interno e o externo e preparando a Organização para atender o cliente?  Todos, sem exceção, estão preparados com a mesma sintonia, com foco no resultado para o cliente, através de uma rede extraordinária, da Recepção à Presidência?

Para um RH estratégico, 4.0, exponencial, precisamos desenvolver:

  • Uma marca empregadora congruente,
  • Ter tecnologia aplicada e ferramentas que permitam amparar fortemente as necessidades da evolução organização, atraindo, desenvolvendo e engajando colaboradores, que sejam aderentes ao propósito Organizacional e que tenham capacidade para se entregar aos resultados Organizacionais, mantendo uma vida pessoal e profissional com propósito.
  • Contratar com foco nas soft skills e ter base para desenvolver as hard skills, que se farão necessárias, aqui, vamos abrir um parêntese (o conhecimento está precisando ser aprendido, reaprendido com uma velocidade acelerada).
  • Flexibilização da jornada mantendo o engajamento,
  • Introdução ao empreendedorismo interno para capturar o interesse,
  • Coaching para o desenvolvimento do autoconhecimento pessoal e uma Cultura Organizacional positiva e de alta performance.
  • Mentoria e mentoria reversa para harmonizar e ampliar os resultados entre as gerações, combinar o melhor para resultados exponenciais.
  • Uso da Inteligência Artificial.
  • Desenvolver a Felicidade Interna Bruta.
  • Criar indicadores e trabalhar com eles para tornar a jornada ágil e eficaz.

Onboarding

Baseando, na expressão, “a primeira impressão é a que fica”, nada mais importante que cuidar da entrada do colaborador, fazer um processo de Onboarding, no qual ele possa conhecer a seu papel, responsabilidades e entregas, conhecer o seu líder, conhecer a sua equipe trabalho, conhecer a sua Organização e como ele pode construir sua jornada em conexão com o seu papel, liderança, equipe e Organização.

Engajamento

Agora, o colaborador está dentro, como mantê-lo aliançado com a Organização? A primeira coisa é que cada colaborador faz parte do sistema Organizacional, porém, cada colaborador é diferente e precisamos entender estas diferenças e utilizar os recursos tecnológicos e apoio de processos de Mentoria, Coaching e treinamentos, que podem nos ajudar nesta missão.

O sucesso é manter o capital humano que contribui para a criação da Cultura, realização da missão, e da visão da Organização, embasado nos valores e no propósito e o fracasso é perder o capital humano, que envolve não só o contexto financeiro, mas, a ruptura do sistema. Sistemas e ferramentas, processos, que apoiam, o engajamento devem ser buscados, levando-se, em conta, a “contribuição” autêntica para:

  • otimização dos recursos, dos potenciais e das competências,
  • facilitação e apoio para a Liderança, no despertar da próprio autoconhecimento e desenvolvimento da autoliderança, para que possa desenvolver a si mesmo, os talentos e as equipes de alta performance;
  • otimização dos programas, que produzam ressonância no desenvolvimento dos pilares de conhecimentos, habilidades, comportamentos, valores e ambiente e contribuam para a trilha de desenvolvimento das competências do hoje e do amanhã;
  • sistema de informação dos talentos e seus estágios de prontidão para a realização do propósito Organizacional.
  • criar uma trilha para carreira, clara e transparente para líderes e colaboradores, capaz de mostrar as necessidades de evolução.
  • criar uma forma de conciliar e exponenciar o trabalho das diferentes gerações.
  • proporcionar o despertar da consciência do potencial, bem como se encontram competências, valores e propósito, dentro da biográfica de cada um.
  • dotar a Organização de uma visão holística dos líderes, profissionais e equipes para elaboração do melhor planejamento, desenvolvimento, ação e aprendizagem.
  • estabelecer indicadores de Capital Humano que proporcionem o movimento contínuo e engajado com o planejamento estratégico Organizacional.
  • Transformar turnover em adaptação e pertencer; absenteísmo em produtividade; presenteísmo em engajamento e colaboração, falta de comprometimento em ideias, inovação e criação, falta de visão de carreira em visão de empreendedorismo interno.
  • Trazer a felicidade para o ambiente Organizacional para construção de resultados, baseado no propósito.

O engajamento é uma questão de ouvir, compreender e ter os dados certos sobre os colaboradores e monitorá-los para entender e oferecer, o que envolve o coração e a mente e conecta às pessoas ao propósito da Organização. O objetivo é conectar o que traz a alta tecnologia, a biotecnologia com o Ser Humano e construir uma Organização de resultados e feliz, que seja uma ressonância entre Estrutura, Processos e Pessoas.

Liderança

O desenvolvimento da Liderança é talvez um dos maiores desafios.  Por muitos anos, desenvolvemos excelentes gestores, hoje, vivemos o apagão de líderes. Além de todas as competências da Liderança, surgem as do Líder Exponencial, que traz uma nova dinâmica ao exercício da Liderança.

O líder exponencial tem de desenvolver as competências Futurista, Inovadora, Tecnológica e Humanitária:

  • visão de futuro, ver o presente e imaginar o futuro, através dos dados e informações, porém, usando o pensamento exponencial, a criatividade e o poder de imaginar e ir além;
  • inovação, o que significa não ter medo de arriscar, de apostar em novas ideias e criações, encarando, o desafio do Mundo Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo como uma oportunidade para ir onde os outros acham impossível;
  • entender o impacto da alta tecnologia e da biotecnologia na Organização, quais são as melhores alternativas e como são ecológicas ou não para a estrutura, os processos e as pessoas tanto no cenário interno como no eco, que fará ao Ecossistema; e, por fim,
  • ser humanitário, usando as competências futuristas, inovadoras e tecnológicas, realizando a minimização do hiato entre a tecnologia e as pessoas, criando um ambiente de trabalho com métricas congruentes, que proporcione relacionamento positivo, servidor, engajado, colaborativo, acolhimento a diversidade que resulte na felicidade de atingir o propósito e realização de resultados.

Autoconhecimento & Liderança

E tudo começa com o Autoconhecimento, com o propósito, que ajuda a construir as Organizações Extraordinárias e com elevado nível de satisfação para os Clientes, Colaboradores e Investidores e voltadas para uma jornada de sucesso exponencial.

A liderança que reconhece a si mesmo e foca no desenvolvimento de todas as pessoas que toca (cliente, colaboradores, investidores)  e no propósito organizacional para atingir os resultados e viver o  longo prazo, através e com as pessoas, em um ambiente, no qual, prevalece a aprendizagem,  o engajamento, os relacionamentos, a congruência, as ações éticas, o sucesso com a plena expressão da autenticidade

Desempenho e Resultados.

Quando falamos, em um mundo em transformação, rápido e ágil, é claro que, o desempenho, não pode ter métricas colocadas em dezembro do ano anterior e avaliadas em dezembro do ano posterior, neste espaço de tempo, o cenário muda e outras variáveis aparecerão. Para criar o envolvimento dos colaboradores com os resultados, eles precisam entender o que é esperado, ter o feedback, o feedforward, as  oportunidades de aprendizagem e o desenvolvimento compatível com as suas soft e hard skills  e ao mesmo tempo o líder precisa ter  a visão sistêmica de cada individuo e da equipe, para construir o desenvolvimento das equipes de alta performance e manter o envolvimento com o propósito e o resultado.

Desenvolvimento do Profissional de RH

Agora, que o RH assume seu papel estratégico é preciso aprender a ser estratégico, entendendo toda a Organização e buscar soluções, que a façam, diminuir as lacunas de Estrutura, Processos e Pessoas.

Adquirir a visão de mundo, aprender a aprender continuamente  muito além das antigas fronteiras do RH, compreender que estamos num momento imprevisível, onde as formações, profissões e o impacto da automação produzirão um cenário, totalmente, novo, e, que é preciso encarar a visão Humanos e Robôs e ao mesmo tempo incorporar a Humanidade, a Felicidade Interna para equilibrar a jornada do presente para o futuro e construir a gestão do amanhã.

A área de RH deve incluir suas próprias métricas, suas medidas de excelência para satisfazer o cliente interno e ajudá-lo a satisfazer o cliente externo, gerando o círculo dourado da organização voltada para cliente e assim realizando a sua vocação estratégica de desenvolver a Organização, que são as pessoas.

Resumindo:

  • Dê as pessoas motivos para entrar e para permanecer na Organização, trabalhando Propósito, Relacionamentos, Engajamento, Colaboração, Liderança, Empoderamento, Comunicação Holística.
  • Traga para a Organização, para os Líderes, sistemas, ferramentas, treinamentos para liderar pessoas e gerir processos. Facilite o projeto de Desenvolver Pessoas, que o projeto de desenvolver processos trará resultados diferenciados.
  • Crie dados que traduzam as informações da Organização e use-os para alimentar o processo de desenvolvimento das pessoas, para abastecer as Competências do hoje e preparar as competências para o amanhã.
  • Entenda o que conecta e o que desconecta as pessoas e atue para melhorias ágeis.
  • Abandone as atividades operacionais e incorpore as tecnologias, as necessidades do cliente e produza soluções, que gerem resultados.
  • Ajude a construir uma Organização que comece pelo “Por quê” e encante a mente e o coração dos clientes.
0
medo-01

O quanto o medo nos domina? O quanto deixamos de ser a nossa essência?

Pensamos que estamos livres do medo, mas, estamos aprisionados nele. A triste população que vive no ter e se esqueceu de ser. Manipulada por processos rasos, que seriam avaliados de zero a um numa escala de excelência até dez e que são vendidos como a melhor solução para superar os vazios criados e implantados engenhosamente em mentes amedrontadas e inseguras, perpetuadas por muitos  e muitos anos na privação da essência da vida.

Vivemos um momento, no qual muitas pessoas perderam os valores fundamentais da vida em Sociedade, mas, continuamos querendo: ser felizes, seguros, saudáveis, plenos, afinal, o homem é um ser social, então precisamos aprender de novo a sermos, simplesmente humanos e  usarmos a nossa visão sistêmica para construir o que desejamos para nós, seja real, para os outros.

Não é raro, perguntamos para as pessoas:  Quais são os valores? O que as movem… e as pessoas ficam aturdidas ou enveredam para o ter. Os vazios gerados são preenchidos com coisas que são vendidas como extraordinárias, porém, de maneira sórdida, para diminuir o poder ímpar de cada pessoa de ser e pensar diferente; tristemente, as pessoas ´pensam que pensam, mas, apenas seguem. O sistema trabalha diariamente para alienar, mentir e esconder que somos humanos e que estamos aqui para expressar luz e não sombras. O sistema vende ódio e a solução é o amor, o primeiro amor por nós mesmos e se nos amarmos de verdade, enxergaremos a essência de tudo e este amor se refletirá no mundo.

Como trabalha o sistema?

Trabalha com o medo, com a falta e a carência das pessoas e com a abstração da espiritualidade, da família e dos valores. Trabalha com a ausência da verdade, com a mentira, mas, não com aquela mentira que é clara e desonesta, mas, com aquela que é subliminar, persistente, irreal, que copiosamente é infiltrada nas mentes amedrontadas e despidas de fé em si e nos outros.

 Como disse Sir Winston Churchill “Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir.”

Valores

Sabemos que os valores são subjetivos e sua escala de prioridade também, mas, numa Sociedade ao falarmos deles, podemos citar, alguns, que são fundamentais para a convivência social:

  • Moral, as leis, o que é certo ou é errado para viver em uma sociedade, com caráter normativo.
  • Ética, os princípios morais, alicerçados nos valores históricos e culturais da sociedade.
  • Autoliderança, a melhor consciente de si, nos faz mais forte para produzir ações de melhoras para si e para os outros.
  • Honestidade, a honra, o compromisso, a sinceridade, consigo mesmo e com o mundo. A transparência consigo e com os outros.
  • Liberdade, entendendo e respeitando que ela cessa, quando maltrata o outro e que se não tivermos medo, somos livres.
  • Igualdade, ninguém é melhor que o outro, se estivermos libertos do medo, nunca nos sentiremos mais ou menos que o outro, o único ídolo do ser humano é ele mesmo.
  • Servir, conseguindo ajudar autenticamente o outro, usando o que faz com amor para relacionamentos melhores, estamos libertos do medo.

E como estamos?

Poderíamos estar bem, se não houvesse a manipulação para aniquilar   a essência e substituir o ser pelo ter.  Ainda hoje, vivemos a explosão das mudanças e das inovações, gerando transformações fantásticas, mas, ao mesmo tempo assustadoras.  Fantásticas por terem o poder de serem desenvolvidas em escala e alcançar uma melhoria para muitos e assustadoras, exatamente, por não serem usadas com e a favor da humanidade e serem preparadas para afastar as pessoas da espiritualidade. Pessoas fortes em si mesmas, não tem medo.

Medo e Mentiras

Se olharmos os discursos que nos cercam, a maioria deles é baseado no medo, as palavras são fomentados milhares e milhares de vezes, e, as pessoas começam a repetir, incorporar nos seus discursos e vivem um medo absurdo, por algo que não existe. A manipulação é algo maquiavélico, pois, as pessoas não percebem, que estão indo em direção ao medo, a sombra e não a luz.

Enfim, como disse Mandela “Quando nos libertamos de nosso medo,
nossa presença automaticamente liberta as outras pessoas”. 

Somos responsáveis.

O ser humano é responsável pelo que conhece, pelo que faz com o seu conhecimento e por seus comportamento, tem de aprender com seus erros e melhorar continuamente; tem de ser congruente, tem de basear suas ações e  seus comentários nos fatos, usar suas palavras sabendo o que significam realmente, e, não repetir e fazer o que lhe falam, para isto é preciso ler muito, estudar muito. Ouvi recentemente, uma frase, de Tony Robbins em seu evento em SP, mais ou menos assim: “se durante o dia tiver de optar entre comer ou ler, prefira ler.” Ao ler sobre tudo, o ser humano está liberto e tem condições de identificar as verdades e as mentiras, se está sendo essência ou manipulação.

Mudanças

O ser humano tem de entender que as mudanças não são fáceis, que elas por certo farão sair da zona de conforto e que nem sempre faremos coisas que gostaríamos de fazer, mas, é necessário para manter a liberdade e o crescimento.  O passado já passou, não podemos consertá-lo, muda-lo, apenas ressignificar para viver o presente e assumir a estratégia para o futuro.

Se o medo, não nos domina somos essência, vivemos de acordo com os nossos valores, os nossos pensamentos e somos autenticamente livres, temos a gratidão por sermos únicos e nossas ações refletem a nossa essência no mundo.

Nunca se esqueça que “Quem combate monstruosidades deve cuidar para que não se torne um monstro. E se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olha para dentro de você.” Friedrich Nietzsche

0
blog-02

Um encontro com Tony Robbins

O dia nove de agosto de 2018 foi diferente, não é todo dia,que temos a oportunidade de encontrar Tony Robbins.  O que esperar quando você está no mesmo ambiente com Tony Robbins, o mais famoso Coach do planeta?  O que pensar ao ouvir o maior palestrante do mundo, que já transformou a vida de milhões de pessoas?  Se até hoje, seus livros, documentários e frases poderosas já inspiravam nossos dias, o que seria após vê-lo e ouvi-lo pessoalmente.

O ambiente, não era aquele cenário dos eventos de Tony Robbins, que costumamos ver nos seus documentários, que dão a percepção de serem preparados estrategicamente para ele. Na realidade, o que, por vezes, parecia algo confuso era uma jornada para chegar ao destino que, neste caso, era Tony Robbins e como ele mesmo diz “Mudar uma organização, mudar um país ou o mundo, começa com o simples passo de mudar a si próprio.”

 Tony entrou e trouxe a sua costumeira energia e movimento, afinal, “empreender é internalizar a felicidade das pessoas através do seu trabalho”. E começamos a absorver as horas, os minutos e os segundos  de uma jornada frenética e sinergicamente orquestrada ao encontro do nosso poder, uma aprendizagem intima e pessoal.  A minha percepção do encontro com Tony Robbins …”o que você procura está dentro de você agora.”

 O Ciclo do Sucesso = Potencial, Ação, Resultados, Crenças ou Certezas.

Todas as pessoas têm potencial que é ilimitado, então, não haveria razão para os resultados serem limitados, correto?  Seria correto, se não existisse as crenças limitantes, que produzem como resultado um potencial fraco, ou seja, um potencial que não é usado é nada; por outro lado, uma crença positiva tem como resultado um potencial alto para ser usado e atingir resultados. O importante é como a mente é alimentada e preparada.

Ação e  movimentos, mente e corpo…uma das características do evento foram os movimentos continuados e interligados, PNL, Coaching, diversas emoções praticadas em uma sequência frenética, uma demonstração das ações que levam ao sucesso e das ações que levam ao fracasso, um poderoso encontro com sentimento, emoções e sensações diferentes e muito rapidamente e sempre em crescimento concatenado.

Crenças ou Certezas …Precisamos acreditar no que estamos fazendo, desta forma, só há um caminho acreditar e agir. Mas, nada adianta ter potencial, empregar a ação e não acreditar que pode, pois, os resultados serão sempre fracos;  expressão, corpo e movimento revelam quando as crenças limitam e revelam quando as crenças são fortes. “Todas as pessoas têm sonhos, mas, a maioria não vive o seu sonho, não acreditam e não agem”.

Os resultados são a soma do potencial, das ações e  das crenças positivas, só não atingimos resultados quando não acreditamos, quando não agimos e quando não nos comprometemos.

Pergunta: Como estão seus resultados, positivos ou não tem os resultados que se propõe, então, por certo, está falhando em acreditar em si mesmo, em agir ou se dedicar. O sucesso ou insucesso é uma escolha pessoal. “Viva para fazer a diferença na vida do outro, viva para mudar a vida de alguém para o melhor, assim, realizará os seus sonhos e obterá os melhores resultados.”

Tony, nos deu a dica como sair do ciclo do fracasso para o ciclo do sucesso: “Treinar o resultado na mente e acreditar” corpo e mente alinhados. Visualizar o resultado do sucesso, o cérebro acredita no que você acredita e você vai além do além. O processo é mudar o resultado do jogo da vida na mente e agir, agir, constantemente até conseguir. “A repetição é a mãe da habilidade.”

Nós, profissionais da estratégia do desenvolvimento humano e organizacional temos de acreditar na diferença que queremos proporcionar e fazer a diferença na vida das pessoas e das organizações, que são as pessoas. Atuar com paixão autêntica pelas vidas que tocamos.

Conhecimento

Uma outra dica, maravilhosa, “ler 30 minutos por dia”, sempre pensando no aprender a aprender, que podemos, temos e precisamos melhorar todos os dias. O segredo é repetir, repetir e praticar muito. Tony, coloca se tiver de decidir entre comer e ler, opte, pela leitura.  Alimente a sua alma e a sua mente, enriqueça o seu saber, estude sempre.”

Recursos, Escassez e Medo

Muitas pessoas, vivem se lastimando pela falta de recursos, falta de recursos são apenas as desculpas de quem não tem engenhosidade. A falta de engenhosidade gera o fracasso. Ofereça, seja generoso, pense em você e nos outros, se acreditar que o Universo tem recursos abundantes  para todos, terá abundância.  Seja criativo, seja engenhoso, use a inteligência a seu favor,  “Eu não acredito em motivação, eu acredito em inteligência.” O ser humano passa por uma mudança quando percebe uma oportunidade ou não aguenta mais uma dor, se movimenta pelo impacto do sucesso ou pela dor do fracasso.

O medo é poderoso para proteger dos perigos, mas, também atua como limitador do potencial, o medo é um estado mental. O sucesso e o fracasso são subjetivos, passam pelo estado mental e reações, mais uma dica, até quando você vai deixar que o medo seja dono da sua vida?

Empreendedorismo:

Para Tony, ninguém se torna um bom empreendedor se não tiver o cliente ideal, ou seja, conheça o seu cliente ideal, saiba tudo que acontece entre o que ele mais necessita e entre o que ele mais teme. Porém, ame o que você faz, pois, o seu cliente se inspira e compra o que você ama fazer, pois, sabe que você ama o que faz e então tem competência para dar os resultados que precisa para sua vida, seja para atender uma necessidade ou sanar e amenizar uma dor. Agregue valor, agregue algo ímpar para a seu trabalho, para sua organização e terá resultados. Faça a diferença, encontre o seu poder e seja o protagonista da sua história.

Carreira:

Crie sua marca própria, seu protagonismo, tenha paixão pelo que faz, olhe o mundo observe o que está se movimentando, descubra o que ama fazer, faça suas estratégias, procure apoio, tenha foco, pratique sempre e caminhe para o sucesso.

Liderança:

Para influenciar as pessoas, temos de amar o que fazemos,  nos autoconhecer e influenciar a nós mesmos, afinal, para influenciar alguém tem de conhecer e saber o que o influencia.   Movimentar, energizar a criatividade, a determinação, a flexibilidade, o comprometimento, a conexão, a visão ativa para construir resultados.  Como líder você tem de buscar continuamente a melhor resposta, busca constante pelas melhores perguntas e pelas melhores respostas.

Emoção, Sentimento

A emoção é criada pelo movimento. “ O que você diz que você quer se torna um sentimento. Pense num desejo, quando atingir o objetivo, sinta-se feliz,  encontre o sentimento que quer sentir ao realizar o objetivo e comemore muito, movimente-se.” Se pensarmos bem, a maioria das pessoas do mundo não possui motivos para se sentir mal e se sentem mal, se é assim, também, não precisam de motivos para se sentir bem.  O caminho é mudar o foco, podemos mudar o que sentimos mudando o nosso corpo, pois, o que queremos essencialmente é mudar o que sentimos. A dica: para mudar o interno, mude o externo.  Foco, concentre-se na energia que doa para si mesmo e para os outros. A estrada é reta para infelicidade, para a raiva e para o ódio, mas, a estrada para a felicidade é sinuosa. Treine, movimente-se para se sentir bem.

Onde você vive emocionalmente, onde você passa a maior parte do seu tempo: na raiva, no estresse, no sucesso ou na alegria, abundância, amor? Concentre sua morada emcocional em emoções positivas.

Perguntas Poderosas

  1. No que você vai focar? Entendendo que foco=sentimento
  2. O que significa? Emoção=Vida, que é controlada pelo foco.
  3. O que você decide fazer? Foco= o poder absoluto

O que você está disposto a fazer? Nos momentos difíceis as pessoas vão para o seu lado emocional que usam como maior frequência. Qual o seu lar emocional, para onde você sempre retorna, está na hora de mudar o seu lar emocional antigo? “A negatividade apaga a realização”. Pensando nisto, quais são as emoções que você praticando todos os dias mudarão a sua vida?

Quando as coisas não vão bem, mude o seu corpo totalmente, mude o seu foco ( sentimento),  o desempenho baseia no estado, ao mudar o lado emocional, o corpo tem de estar consistente com esta mudança.  Perguntas poderosas mudam o foco, as perguntas são as respostas.

A habilidade está em ser um estrategista de pessoas e organizações e ajudar como entrar  em quadra com foco e emoção, o poder absoluto.

Mensagem final:

“Ame hoje e não amanhã, elimine os medos e as crenças limitantes,  tenha foco, movimente-se, pratique, aprenda todo os dias, deseje para si e para os outros uma vida em abundância, o que você busca no futuro é o que está dentro de você agora.”

Ao final deste encontro com Tony Robbins,  algumas palavras: sou grata e amo o que eu faço.

0
blog-03

Por quê o Coaching é importante no mundo onde a nossa maior certeza é a incerteza?

A nossa maior certeza é a incerteza, diante desta situação, alguns se apavoram e se fecham, outros se empoderam e descobrem caminhos fantásticos nas brumas.

No mundo líquido, em que vivemos, que rapidamente, muda e se transforma, exigindo um poder amplo de visão, resiliência e compreensão, as pessoas se acovardam ou desbravam, isto depende da maneira de pensar e agir de cada um.

A diferença entre passar pela vida e viver a vida, depende como se atravessa o caminho. Muitas pessoas estão confusas em fazer esta travessia, seja para objetivos pessoais ou profissionais.

Contudo, estar confuso com o que ocorre e não saber qual caminho seguir não é algo que afeta só alguns, mesmo as pessoas que estão fortemente preparadas se dão o direito de dizer que está difícil entender este cenário veloz, disruptivo, contraditório e sempre se desenhando de maneira diferente.

O mundo global vive, exponencialmente, o impacto de vários movimentos sejam políticos, econômicos e sociais, não bastasse estas incertezas, o impacto da alta tecnologia em tudo que toca vem trazendo mudanças e inovações surpreendentes e a tendência é só aumentar e escalar rapidamente o planeta, mudando radicalmente, a forma como vivemos e trabalhamos.

Diante deste cenário, as pessoas me perguntam, como o Coaching pode ajudar a minha vida pessoal, a minha vida profissional, como pode ajudar o meu negócio? Se eu fizer um processo de Coaching quais os benefícios que eu vou colher? Como o Coaching pode me ajudar a viver o Século XXI?

Para responder as questões, eu vou colocar a minha percepção porque eu considero que o Coaching é a especialidade do desenvolvimento humano que caminha junto com o mundo em transformação constante.

O Coaching é um processo, que através de metodologia e ferramentas, ajuda as pessoas e as organizações a superarem os desafios de um mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo, um mundo em transformação e mudanças aceleradas e disruptivas que criam perspectivas e necessidades, gera novos desafios para as pessoas e para as organizações. Hoje, ao se projetar um cenário de longo prazo é preciso, entre outras coisas, visão sistêmica, agilidade, resiliência, flexibilidade, multidisciplinariedade, engajamento e coragem de assumir o risco.

E o Coaching é uma especialidade do desenvolvimento humano que está conectada aos desafios do mundo atual, porque produz mudanças aceleradas e perenes e que diferente das outras especialidades, é um processo que ocorre de dentro para fora, ou seja, toda a transformação, melhoria e potencial traduzido em resultados, vem através do autoconhecimento, autodescoberta, autoliderança.  E o  mundo atual  exige cada vez mais das pessoas, o conhecimento de si mesmo, o conhecimento das emoções, dos sentimentos, a empatia,  que é a arte de nos colocarmos no lugar do outro, o autodomínio, a arte de servir e criar sustentabilidade,  a responsabilidade e o comprometimento com resultado, a necessidade de trabalhar em conexão para atingir o propósito e o Coaching  contribui, de forma direta para  trilhar este caminho.

Através do Coaching as pessoas encontram propósito, missão, visão e valores, a base da essência humana e passam a utilizar o seu potencial, o seu poder de criação para a ação e realização de metas e objetivos.  Ao mesmo tempo que aprendem a se conhecer e a entender o outro, com isto, desenvolvem as competências necessárias para o Século XXI. As organizações fortalecem também o propósito, missão, visão e valores e a conexão, formando líderes e não apenas gestores, bem como, as pessoas que vão dedicar o seu conhecimento, a sua experiência e motivação para atender o propósito organizacional.

Com a ajuda de um bom Coach, profissional especializado e com formação em Coaching, é possível entender o que está fluindo bem e desvendar o que não está tão bem assim e liberar potencial para ação, desabrochar competências, entender e harmonizar comportamentos. O processo possibilita a mudança do mindset, conjunto de pensamentos, crenças, que estão dentro da nossa mente e que acabam ditando nossos comportamentos, hábitos, ou seja, como nos sentimos e como nos comportamos na vida, o que nos faz ficar parado ou o que nos faz movimentar para obter resultados diferentes.

No processo de Coaching ocorre a conscientização das crenças, dos hábitos,o que permite expandir e aflorar competências. Trabalhando, recarregando e transformando atitudes para que o conhecimento e as capacidades, com foco e ação se dirijam para as metas e objetivos.   Ao mesmo tempo que a essência é fortalecida, ela é combinada com a transformação do potencial em combustível para atender os objetivos e superar com criatividade, energia, flexibilidade novos desafios.

A grande sacada do Coaching é que trabalha com o presente focando o futuro, tem começo, meio e fim.  Tem um objetivo, tem metas, tem ações e tarefas e tem resultado. Durante o processo, o cliente (coachee) vai se desprendendo de crenças e hábitos que o limitam e o deixam paralisado, permitindo o uso do potencial, identificação das competências que precisam ser maximizadas, tornando claro para o coachee, que pode esculpir qualquer cenário, com comprometimento, ação e performando altos resultados.

Como em qualquer área de atuação, é necessário que o profissional Coach tenha certificação e formação reconhecida.  Chamamos de Master Coach, o profissional que passou por várias formações até o nível de maestria no Coaching.   Também é importante que o profissional, além da Certificação, tenha vivência profissional na área desejada, o que vai ajudar muito, afinal, tudo na vida exige competências, experiências, qualificação, que possam potencializar os resultados, ou seja,  se o Coachee procura alguém para ser o seu Coach na área organizacional, é importante que o Coach tenha vivência na área organizacional; se o Coachee procura um Coach para uma área da Saúde é importante que o Coach tenha uma vivência naquela área da saúde; se o Coachee procura um Coach para alavancar Vendas, Carreira é importante que o Coach tenha experiência nestas áreas. A formação mais uma vivência na área de demanda tornam o processo mais exponencial, adicionada a metodologia, dinâmicas das sessões, contrato, ética e confiança completam o roteiro para a seleção do parceiro que vai ajudar a caminhar num mundo onde a maior certeza é a incerteza.

Contudo, é imprescindível no processo de Coaching o comprometimento do Coachee (cliente), se não houver comprometimento, não haverá resultado.

0